Participação política: o que é e como exercer?

Ao entrar no tema “política”, os primeiros cargos que pensamos são os eletivos, isto é, os cargos para os quais elegemos pessoas que nos representem nas tomadas de decisão. Essas escolhas fazem de nosso sistema eleitoral, que adota o voto universal como forma de escolher os representantes do Executivo e do Legislativo, como  senadores e deputados federais e estaduais, prefeito e presidente da República, por exemplo. Entretanto, a participação política vai além do ato de legislar e governar. Você sabia que pode participar da política integrando movimentos sociais, por exemplo?

Quer compreender de fato o que é participação política e quais são as diferentes maneiras de realizá-la? Continue a leitura!

 

Primeiro, o que é política?

Antes de compreender o que é participação política, primeiro, é importante saber o que é política, afinal das contas. O termo “política” foi criado na Grécia Antiga e é derivado de “polis”, que significa “cidade”. Ou seja, tudo que possui relação com a cidade-Estado e com a vida em sociedade é, de alguma forma, política.

Aristóteles — filósofo clássico grego, autor da obra “A Política” e que contribuiu e muito para o conceito que temos hoje em dia — diz que a política é fundamental para atingir os interesses dos cidadãos. Além disso, para que o Estado funcione corretamente, ainda de acordo com ele, também se faz necessário cumprir as leis existentes.

Dessa forma, podemos perceber que a política sempre está presente ao falarmos de viver em sociedade. Seja ao votarmos para quem irá nos representar no Congresso Nacional, seja participando de manifestações em prol de minorias sociais ou até mesmo decidindo sobre quem irá fazer determinada função em um trabalho escolar em grupo. Tudo está incluso na convivência em sociedade, tomada de decisões e na busca pela harmonia de todos os envolvidos nessa dinâmica.

 

O que é participação política?

Participação política, como o próprio nome diz, engloba todas as instâncias em que seja possível realizar política em sociedade. O conceito pode parecer amplo, justamente por abranger muitas possibilidades de participação, por exemplo: votar em algum candidato à presidência da República, filiar-se ao grêmio estudantil, participar de manifestações, ir a audiências públicas…  Enfim, tudo que esteja relacionado à cidadania. Participação política é o ato de participar ativamente de discussões que envolvam o coletivo, independente da instância que ela ocorra.

De acordo com Giacomo Sani — mencionado na obra “Dicionário de Política”, de Norberto Bobbio — a participação política acontece em três níveis: presença, ativação e decisão. O primeiro nível, a presença, ocorre quando o indivíduo atua muito mais de maneira passiva — recebendo conteúdo político. São ações como ir à reuniões e ter contato com propaganda eleitoral, por exemplo, em que a pessoa de forma não proposital teve conhecimento sobre algo relacionado à política. Já a ativação, o segundo nível de participação política, seria o estágio intermediário. Nele, as pessoas já se consideram engajadas com causas políticas e de seu interesse, por isso, estão nessa categoria ações como participar de campanhas eleitorais e manifestações públicas. Por fim, no último nível, a decisão acontece quando o cidadão contribui de forma direta, seja elegendo um candidato por meio do sistema eleitoral ou até mesmo se candidatando para um cargo político. Este seria um estágio final pelo fato de que o cidadão “está”, de fato, no sistema político, contribuindo diretamente para definir quem o irá representar nas decisões finais.

Já que estamos falando de participação política, você sabe quais são os direitos e deveres do cidadão?

 

Imagem: Pixabay

Quais as formas de participação política?

Ok, agora você já sabe o que é participação política, certo? Mas como praticá-la, então? Bem, de acordo com o artigo de Renato Cancian — doutor em Ciências Sociais pela UFSCar — para o UOL Educação, existem três formas de participação política que, por sua vez, reúnem exemplos claros de como realizar tal tarefa. Vamos ver quais são essas formas?

 

1 – Participação política eleitoral

A primeira forma de participação política é a eleitoral. Geralmente, ao falar de participação política, é a primeira forma de atuação que nos vem à mente. É o canal de participação tradicional, pelo qual o cidadão pode tanto votar em alguém para representá-lo politicamente como se candidatar a algum cargo eletivo. Dentro desse sistema existem regras, como a existência dos sistemas proporcional e majoritário que, no Brasil, variam de acordo com o cargo em disputa.

E por falar em sistema eleitoral brasileiro, você já parou para pensar em qual seria o melhor sistema eleitoral para o Brasil?

 

2 – Participação política corporativa

A forma de participação política corporativa fala sobre “a representação de interesses privados a partir da interferência direta na burocracia estatal”. Basicamente, é quando os cidadãos, organizados em sindicatos, associações, em atividades de lobby e afins, se unem para conseguir benefícios do Estado. No Brasil, existe uma forte confusão entre lobby e corrupção, mas vale lembrar que lobby pode ser feito por qualquer cidadão, já que é uma atividade legal.

Mas, você sabe o que é lobby? Confira neste conteúdo!

 

3 – Participação política organizacional

A terceira forma de participação política é a organizacional, que também possui o nome de terceiro setor. Nela, surgem os grupos que defendem interesses específicos, como movimentos sociais e as organizações não governamentais (ONGs). Os grupos que integram esse espaço geralmente não possuem visibilidade, o que faz com que eles lutem não só para adquiri-la, mas também para garantir e reivindicar seus direitos. Um exemplo que vem crescendo e que se enquadra nessa forma de participação política é o advocacy, que consiste em um mecanismo de conquista — por parte desses movimentos e grupos sociais — de direitos às minorias por meio das leis, pressionando as autoridades e criando políticas públicas que atendam essas necessidades. Alguns exemplos de movimentos sociais que integram esses grupos são o  movimento LGBT, movimento negro e similares.

Aliás, muito se fala sobre minorias sociais, mas você sabe o que isso significa e porque elas se chamam assim?

Seja um cidadão participativo!

Agora que você já sabe maneiras de exercer a participação política, é hora de colocar em prática! Vale todo tipo de ação, desde ir à reuniões do movimento estudantil de sua instituição de ensino até criar projetos de lei de iniciativa popular! Só participando de maneira ativa de nossa política e realizando nosso papel de cidadão consciente é que iremos fazer com que nossas vozes sejam ouvidas e representadas!

Além disso, uma outra maneira simples, rápida e gratuita de fazer política é interagindo com seus representantes políticos no Congresso Nacional! Para isso, é só baixar o aplicativo do Poder do Voto! Lá você fica por dentro das opiniões de seus representantes políticos sobre as atuais pautas que estão no Congresso!

-Poder do Voto

Publicado em 07 de dezembro de 2018.

 

Referências

Aristóteles – A Política

Biblioteca Virtual da FAPESP – Renato Cancian

Mundo Educação – Política

Norberto Bobbio – Dicionário de Política

Toda Matéria – O que é política?

Toda Política – O que é política?

UOL – Participação Política: participação política e cidadania

UOL – Sociologia: Participação Política