A “amnésia eleitoral” no Brasil

Você, eleitor, lembra em quem votou nas últimas eleições para Deputado Federal? E Senador, se recorda? Para boa parte dos eleitores, a resposta para essa pergunta é não. O fenômeno da amnésia eleitoral no Brasil é frequente e acontece por algumas razões. Aqui, você confere alguns dos motivos para esse cenário de amnésia política. Vamos lá!

 

O que é a amnésia eleitoral no Brasil

Primeiramente, é importante explicar o conceito de amnésia eleitoral. O termo, que junta “amnésia” (perda da memória) e “eleitoral” (relativo às eleições) trata sobre esquecer quem foram os políticos que você votou nos últimos pleitos. Ou seja, você pode até ter se informado para exercer o voto no domingo de eleição, mas já se esqueceu sobre os candidatos algum tempo depois, às vezes, até dias depois.

No Brasil, o cenário de amnésia eleitoral não é uma exceção. Segundo pesquisa realizada em 2018 pelo instituto Idea Big Data, 79% dos eleitores brasileiros não se lembram em quem votaram nas eleições de 2014 para ocupar as cadeiras do Congresso Nacional. Ou seja, apenas dois em cada dez eleitores se lembram em quem votaram para Câmara dos Deputados e Senado Federal em 2014.

Além disso, ainda de acordo com esse mesmo estudo, apenas 15% dos entrevistados disseram que acompanham as atividades de seus representantes políticos no Congresso. Um cenário deveras preocupante para nossa democracia representativa. E por que será que isso acontece? Veremos a seguir.

Falamos tanto de democracia, mas, afinal, você sabe o que é uma democracia?

 

Razões para a amnésia eleitoral no Brasil

Já vimos que a amnésia eleitoral também existe no Brasil, de fato. Mas por que ela acontece? Listamos abaixo alguns fatores que podem esclarecer essa questão. Lembrando que eles não estão necessariamente isolados uns dos outros, ao contrário. Uma situação leva a outra.

 

1 – Crise de representatividade política

É interessante reforçar que não é só o Brasil que vive uma crise de representação política. E, além disso, ela acontece não somente entre políticos e eleitores, mas também com os próprios partidos políticos e o eleitorado. Muitas vezes, por não se identificarem com nenhum deputado ou senador que se candidata, por exemplo, o eleitor acaba votando nulo ou em branco. O que, por sua vez, faz com que esse eleitor não se interesse por acompanhar quem está no poder, pois não estabeleceu confiança o suficiente para ter seu voto.

 

2- Não ter o costume de acompanhar seus representantes políticos

Como vimos acima, também não faz parte do cotidiano do eleitor brasileiro acompanhar e fiscalizar seus políticos. Apesar do esforço de boa parte dos eleitores para votar consciente, pesquisando seus candidatos a fundo, esse trabalho não termina ao digitar a tecla “CONFIRMA” na urna eletrônica. Ao contrário, depois das eleições, torna-se necessário acompanhar os candidatos eleitos.

 

3 – Foco maior nos cargos do Executivo

Outra razão para o quadro de amnésia eleitoral no Brasil é a diferença do enfoque dado para os cargos dos poderes Executivo e Legislativo. É comum durante a época de eleições divulgarem mais notícias em sites e na televisão envolvendo cargos como os de Governador e Presidente da República do que envolvendo candidatos a  Deputado Estadual ou Deputado Federal, por exemplo. Isso não quer dizer que uma função se sobrepõe à outra, afinal, cada uma possui sua função específica e relevante para o bom funcionamento da democracia brasileira. Porém, este enfoque faz com que estes cargos do Executivo sejam mais lembrados pela população.

 

Quer saber por que não são só as eleições para presidente que importam? Só clicar nesse link!

Congresso Nacional
Foto: Pedro França/Agência Senado

 

Quais as consequências de uma sociedade com amnésia eleitoral?

Acima, apresentamos alguns motivos para a tal da amnésia eleitoral. Porém, como dito anteriormente, uma situação leva a outra. Assim, o eleitor não se sente representado por algum partido político, logo, deixa de acompanhar os políticos eleitos também por falta de interesse, representatividade e confiança.

Além disso, como cobrar as promessas de campanha de um candidato se você não lembra em quem votou na última eleição? O aplicativo Poder do Voto é uma das ferramentas a disposição do eleitor para fazer esse acompanhamento! Lá você fica por dentro das opiniões de seus representantes políticos sobre as pautas do Congresso!

 

O que fazer para mudar?

Diante desse cenário de desinteresse por política, como resolver o problema de amnésia eleitoral no Brasil? Bem, uma possível alternativa é unir o útil ao agradável. Estamos na era da tecnologia, das redes sociais. Logo, por que não usar essa tecnologia em prol da democracia de uma maneira rápida, simples, fácil e barata?

O aplicativo do Poder do Voto é uma ferramenta de diálogo direto com seus representantes no Congresso Nacional. Através do aplicativo, você consegue acompanhar as leis mais relevantes para o dia da população e que estarão na pauta de votações nos próximos dias, bem como seguir os políticos de seu interesse e comparar se seu posicionamento combina com o dele. O seu representante também receberá um relatório da sintonia entre seus votos e de seus eleitores que se manifestarem através do aplicativo. Baixe o aplicativo! Participe. Acompanhe. Mude.

Existem diversas outras ferramentas disponíveis na internet para contribuir com o papel de fiscalizador a acompanhante de seus representantes na política. O importante é fazer com que sua voz seja representada, afinal, os políticos estão ali para representar a população.

Agora que já tem conhecimento sobre essas ferramentas, que tal compartilhá-las com sua família e amigos? Vamos lembrar que a política não muda sozinha! Para fazermos parte da mudança, fazendo a diferença e combatendo a  amnésia eleitoral, também se faz necessária a participação da sociedade como um todo.

Poder do Voto

 

Referências

Câmara dos Deputados – Um terço dos eleitores não se lembra em quem votou

Exame – 79% dos brasileiros não lembram em quem votaram para o Congresso

Uol – Em quem mesmo eu votei?

Uol – Facebook lança plataforma para ajudar usuário a fiscalizar políticos